terça-feira, 24 de junho de 2008

Texto e Fatores de Textualidade

O texto pode ser constituído em linguagem verbal ou não verbal. Uma ilustração ou uma partitura são textos não verbais. O texto verbal caracteriza-se pela sua linearidade: as palavras e os sons são apreendidos um após outro, e não simultaneamente como acontece na linguagem não verbal. Todo texto é construção - o que significa que texto não é um amontoado de frases, mas sim um conjunto organizado, no qual é possível identificar partes e estabelecer relações entre as partes e entre os elementos que as compõem. No texto, nada pode "sobrar", ser contraditório, ilógico ou destoante, deixar de ter sentido ou intenção. Todas as peças devem se encaixar, formando uma unidade.

O todo significativo, a que chamamos texto, caracteriza-se por uma série de fatores de textualidade: aceitabilidade, contextualidade, coesão, coerência, intencionalidade, informatividade, intertextualidade, situacionalidade.


1. Aceitabilidade: disposição ativa de participar de um discurso e/ou compartilhar um propósito; é preciso que os enunciatários aceitem a manifestação lingüística como um texto que tenha para eles alguma relevância.

2. Contextualizadores: são fatores que têm por função ancorar o texto na situação comunicativa, isto é, fazem avançar expectativas de compreensão do mesmo.

3. Coesão: refere-se ao modo como as palavras estão ligadas entre si dentro de uma seqüência, isto é, ela se manifesta microtextualmente.

Tipos: referencial, recorrencial; paráfrase, recursos fonológicos e seqüencial.

4. Coerência: é o resultado dos processos cognitivos operantes entre os usuários e não e não um mero traço dos textos, manifestando-se macrotextualmente. Caracteriza-se como nível de conexão conceitual e estruturação dos sentidos.

5. Intencionalidade: para que uma manifestação lingüística constituída um texto, é necessário que haja a intenção do locutor de apresentá-lo como tal. Os maiores problemas que se colocam na questão da intencionalidade são o de supor que quem fala o faz sinceramente e o que a comunicação diária é pouco transparente e diversificada em alto grau.

6. Informatividade: designa em que medida os materiais lingüísticos apresentados no texto são operados ou não operados, conhecidos ou não conhecidos da parte dos interlocutores. Todo texto contém pelo menos alguma informação e a qualidade dessa informação permitem distinguir três ordens de informatividade: a) informa o óbvio; b) quebra da expectativa; c) quando aparentemente fora do conjunto, havendo uma quebra muito grande de expectativa.

7. Intertextualidade: compreende as diversas maneiras pelas quais a produção e a recepção de um texto dependem do conhecimento de outros textos anteriormente produzidos. Em sentido estrito, pode-se falar em: alusão, epígrafe, paródia, paráfrase, citação, metalinguagem e polifonia.

8. Situcionalidade: reúne os fatores que tornam um texto adequado a uma situação atual ou recuperável.


Portanto, caro leitor, textualidade é uma capacidade que todo falante de uma língua natural tem de distinguir um texto coerente de um aglomerado de seqüências incoerentes. Há a necessidade da lógica, do desenvolvimento da idéia, ou seja, o desenvolvimento do famoso tópico frasal (tese).

As superestruturas

O texto descritivo

Introdução: primeira impressão ou abordagem de qualquer aspecto de caráter geral.
Desenvolvimento: características físicas, associadas às características psicológicas; detalhes - comparações com objetos semelhantes; detalhes referentes à estrutura global do ambiente; luminosidade e aroma; detalhes específicos do plano de fundo; explicações do que se vês ao longe; observações dos elementos mais próximos do observador; explicações detalhadas dos elementos que compõem a paisagem, de acordo com determinada ordem.
Conclusão: retomada de qualquer outro aspecto de caráter geral; observações de caráter geral referentes à sua utilidade ou qualquer outro comentário que envolva o objeto como um todo; observações sobre a atmosfera que paira no ambiente; comentários de caráter geral concluído acerca da impressão que a paisagem causa em que a completa.

O Texto Narrativo

Introdução: explicar que fato será narrado; determinar o tempo e o espaço.
Desenvolvimento: causa do fato e a apresentação das personagens; modo, como, tudo e lugar.
Conclusão:conseqüência do fato.

O texto dissertativo

Introdução: apresentação do tema
Desenvolvimento: desenvolvimento de cada um dos argumentos: análise histórica (época mais distante); referência a fatos de conhecimento do público; comentários críticos (crítica dos fatos, idéias ou circunstâncias).

Conclusão: expressão inicial mais reafirmação do tema; observações finais; expressão inicial e retomada do tema; considerações finais - observação crítica seguida de uma expectativa.


Bibliografia
GRANATIC, B. Técnicas básicas de redação. São Paulo, Scipione, 1995.

3 comentários:

Bruno Carlos De Souza Monteiro disse...

muito elucidativo... parabéns!
Gostaria de um esclarecimento sobre a palavra "enunciatário", não a encontrei no dicionário.
Se puder esclarecer: prafalarcomlivia@hotmail.com

misael disse...

valeu professora amei suas explicações, me ajudou muito. abraços. ( Edigar)

Thais Manoela disse...

gostei muito, acho que usou palavras dificeis poderia ter simplificado, mesmo assim entendi. obrigada